sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

JÚPITER: O MAIOR PLANETA DO SISTEMA SOLAR



Júpiter faz lembrar-me das aulas de Astronomia quando lecionava para os meus aluninhos. Sabe por quê? Por causa do seu imenso tamanho e as cores que ele contém.
Na História Antiga foram os romanos que o nomearam de Júpiter, que era um deus supremo considerado mestre do céu pelo seu brilho constante.


Júpiter é observado há muito tempo, desde a antiguidade, mas Galileu Galilei foi quem o observou pela primeira vez através de um telescópio em 1610, onde foi descoberto quatro dos seus satélites naturais: Io, Europa, Ganimedes e Calisto. Ao todo contém 63 satélites. O satélite Ganimedes é o maior e um dos poucos corpos que possui atividade vulcânica. Mas o satélite que está intrigando os astrônomos é o Europa. E qual seria o motivo? É o satélite que possui um oceano líquido. Isso é fantástico!


É o quinto planeta mais próximo do Sol e é o maior no Sistema Solar. A sua rotação é a mais rápida de todos os planetas. Enquanto a rotação do nosso planeta dura 24 horas, a dele dura 10 horas. De tão grande que ele é contém mais matéria do que todos os outros planetas juntos. Não é inacreditável? Ao compararmos o seu tamanho com o planeta Terra, o espanto é maior ainda: Júpiter é 318 vezes maior do que a Terra, tem um diâmetro 11 vezes superior ao nosso, mas é menos denso. Isso mesmo. Esse gigantesco planeta é menos denso do que o planeta Terra porque é composto principalmente de hidrogênio, hélio e pequenas porções de outros componentes. É um planeta gasoso juntamente com Saturno, Urano e Netuno. Mas há pesquisas sendo divulgadas que ele pode ter um pequeno núcleo rochoso do tamanho do nosso planeta.
O que mais é fascinante em Júpiter, na minha opinião, é a Grande Mancha Vermelha. 


A Grande Mancha Vermelha é uma tempestade (de 500 Km/h) que se move numa direção anti-horária. Alguns cientistas reconhecem que pode ser uma característica permanente do planeta. Essa mancha tem de 24 mil a 40 mil Km de extensão. Isso que dizer que caberiam de dois a três planetas Terra.
Júpiter pode ser obsevável com mais frequência à noite, sendo o quarto corpo celeste mais brilhante no céu, perdendo apenas para o Sol, a Lua e Vênus.
Pelas suas imagens não dá para observar o seu sistema de anéis. Na verdade Júpiter possui anéis, mas que são invisíveis visto da Terra. Os anéis foram descobertos em 1979 pela Voyager. Os anéis de Júpiter são diferentes dos anéis de Saturno. Logo quando foi descoberto, pensava-se que Júpiter possuía apenas um anel, mas com as imagens obtidas pela sonda espacial Galileu foram evidenciados dois anéis. Um anel está inserido no outro.


Há muita coisa que fascina em Júpiter, mas há uma que intriga muitos astrônomos. Chamado de "aspirador" do Sisitema Solar, é considerado o planeta que mais recebe impactos de cometas. Alguns cientistas acreditam que ele atrai cometas em direção à Terra, entretanto outros enfatizam que ele protege. O último impacto registrado foi do cometa Shoemaker - Levy 9, em 1994.


Este ano fiz a prova do EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM), e por coincidência cairam 2 questões sobre Júpiter. Vejam a seguir:
Questão 53- ciências da natureza e suas tecnologias
Júpiter, conhecido como o gigante gasoso, perdeu uma das suas listras mais proeminentes, deixando o seu hemisfério Sul extremamente vazio.Observe a região em que a faixa sumiu, destacada pela seta:
                                           http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=jupiter-perdeu-faixa&id=030130100512


A aparência de Júpiter é tipicamente marcada por duas faixas escuras em sua atmosfera - uma no hemisfério norte e outra no hemisfério sul. Como o gás está constantemente em movimento, o desaparecimento da faixa no planeta relaciona-se ao movimento das diversas camadas de nuvens em sua atmosfera. A luz do Sol, refletida nessas nuvens, gera a imagem que é captada pelos telescópios, no espaço ou na Terra.
O desaparecimento da faixa sul pode ter sido determinado por uma alteração
A) na temperatura da superfície do planeta.
B) no formato da camada gasosa do planeta.
C)no campo gravitacional gerado pelo planeta.
D)na composição química das nuvens do planeta.
E)na densidade das nuvens que compõem o planeta.  CORRETA


Como citei no início, Júpiter possui uma atmosfera muito densa e variável, devido as suas nuvens de enxofre e amônia.




ENEM 2010: Questão 176 - Matemática


As disparidades de volume entre os planetas é tão grande que seria possível colocá-los uns dentro dos outros. O planeta Mercúrio é o menor de todos. Marte é o segundo menor: dentro dele cabem três Mercúrios. Terra é o único com vida: dentro dela cabem sete Martes. Netuno é o quarto maior: dentro dele cabem 58 Terras. Júpiter é o maior dos planetas: dentro dele cabem 23 Netunos.
(Revista Veja. Ano 41, número 25, 25 jun. 2008)


Seguindo o raciocínio proposto, quantas Terras cabem dentro de Júpiter?

a) 406
b) 1334  CORRETA
c) 4002
d) 9338
e) 28014

 Ao resolver essa questão, segui a seguinte ideia:

Marte corresponde 3 Mercúrios
Terra corresponde 7 Martes
Netuno corresponde 58 Terras
Júpiter corresponde 23 Netunos

58 x 23 = 1334



Fiquei muito feliz por ter acertado essas questões. Não fui muito bem no exame, mas por amor à Astronomia não tive dificuldades em resolver. Não é de admirar-se que essa ciência é considerada a mais desafiante e futurística de todas. E não deixarei de mostrar esse amor aos meus alunos.












Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário